Mini árvore de natal

14 de dezembro de 2014

Não sei se foi o Pinterest que me causou isso (bem provável), mas nesse ano estou toda felizinha com a chegada do natal. Aqui em casa nunca se teve esse costume de encher cada canto com algum penduricalho natalino (té mesmo porque, jesuis amado, que troços caros), mas ver monte de coisinha de natal pelas internetes me faz crer que essa é realmente uma boa data para se comemorar. Não temos frio e neve e provavelmente nem chaminé para Seu Noel descer milagrosamente com aquela pança gorda, mas temos família, seja qual for a forma, e temos comida, abraços e a sensação de coração aquecido.

E falando em papai Noel, não sou muito empolgada com a figura dele. Não sei, me parece que ele não representa exatamente o natal, e talvez por isso acho estranho ver casas e decorações repletas de papais Noel de tudo que é tipo, tamanho, forma. Tipo, nah, não precisa, caras. Gosto mesmo de árvores, penduricalhos de vários tipos de materiais, muito glitter (natal nos dá licença poética para breguice), fitas bonitas, laços diferentes. Enfim, tudo que for criativo com essa temática.

Então, ta-dá, fiz uma mini árvore de natal. Bem simples, com materiais simples, e que pode ficar bonita em cima da mesa, home office, onde quiser ♥

Materiais

  1. folha de ofício
  2. algum recipiente com água
  3. cola (eu uso a cascorez, mas acredito que a comum serve também)
  4. linha para cobrir a árvore
  5. fita durex
  6. e os penduricalhos que quiser por na árvore depois de pronta


A primeira parte é fazer a base. Com a folha de ofício se faz um cone (aqui explica como fazer um direitinho) e depois se cobre com a fita durex. É bem importante não deixar nenhum canto do papel exposto, porque depois pode ser complicado retirar a árvore.

Coloque mais ou menos uma colher (de sopa) de cola no recipiente com água e misture bem. Feito isso, corte a linha em vários pedaços, mergulhe nessa cola com água e vá cobrindo com a linha a base feita, do jeito que preferir. Uma dica é dispor as linhas em várias direções, porque assim dá mais resistência à árvore, já que vai ficar toda vazada.

Enquanto a linha está toda molhada, dá para ir colocando os enfeites que quiser: jogar glitter, fazer lacinhos com fita, encher de pedrinhas. Depois é só esperar secar bem e retirar a mini árvore com a ajuda de algum palito  ou qualquer coisa que não desfaça a estrutura. Como a base foi toda coberta com fita, a linha se desgruda bem fácil, mesmo depois da cola seca. 


E prontinho! Depois de estruturada  é só customizar como quiser. Acredito que dê para fazer muita coisa legal e ser uma opção de enfeite para espaços pequenos. ♥

Feito à mão: caderno coloridinho

9 de dezembro de 2014

Uma coisa que une papel bonito e tecido fofo é encadernação. E na encadernação artesanal o papel nem precisa ser tão bonito ou o tecido ser tão fofo, se é feito com cuidado fica bonito com qualquer material.

Por isso desde pequena sempre prestei atenção em como os "livros grossos" eram feitos. Como as páginas ficam juntas? O que faz segurar o miolo à capa?, e tentava fazer minhas próprias versões, um tantinho desastrosas nas costuras, que depois de tanto tentar, aprendi. E é só questão de prática, mesmo, pra ter uma coisa bonita (ou pelo menos decente) em mãos.


Os materiais para fazer são simples: papel para miolo, papel para a capa, tesoura e estilete, tecido, linha e agulha, cola. Se precisar de mais materiais é questão de frescurinha, porque o básicão é isso.

A parte mais difícil para mim é cortar o papel kraft, que é um horror de grosso e haja paciência. Costurar, que parece ser uma parte chata, é o melhor passatempo. 





E prontinho! Tenho aqui um caderninho em tamanho A6, todo coloridinho.  Esse já vai ser presente de natal de alguém hehe, mas tenho vários caderninhos aqui quase terminados e penso em sortear um aqui no blog. Que que cês acham?

A equilibrista

5 de dezembro de 2014
imagem: Adara Sanchez Angulano

A aula acabou cedo e eu, com fome, fui no bar comprar um salgado. A sede de café (que acabou aqui em casa) também bateu e fui na máquina comprar um. Poderia parar e sentar para comer, mas não queria perder o ônibus que já iria passar.

E eu o vi passando. Aquele ônibus verde diminuía a velocidade para fazer sua parada no ponto enquanto eu apressava a minha na tentativa de chegar até ele. Café em uma mão, salgado em outra, bolsa no ombro e caderno, que não cabia nela, debaixo do braço.

Corri estabanada, derrubei café, cabelo todo na cara CORRE CORRE CORRE epa mais café no chão CORRE CORRE CORRE sai cabelo não vejo nada CORRE CORRE CORRE ai meu deus não quero morrer atropelada carros parem pfv. CHEGUEEEEI. Bufando, mas cheguei.

Acho que foi algum milagre divino ou coisa assim, porque não lembro como consegui retirar o cartão de dentro da minha bolsa sendo que as duas mãos estavam ocupadas e não tinha jeito de desocupa-las no momento. Mas enfim, de alguma forma (provavelmente intervenção divina) o cartão do ônibus surgiu em minhas mãos e consegui passar a catraca, não sem antes derrubar mais café no chão com um bônus de cara feia da menina ao lado para mim.

Sentei finalmente no banco, joguei bolsa e caderno pro lado e continuei comendo e tomando café. Os guardanapos que vieram com o salgado sem querer voaram pelo ônibus porque ainda não tinha como segurar direito e por isso teve mais cara feia pra mim, mas pelo menos já estava chegando em casa. Tô viva, quieta no meu canto e de barriguinha cheia. É isso que importa.
 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017