Eu queria essa jaqueta

10 de maio de 2017

Dia desses a aula acabou mais cedo e inventei de passar no shopping ao lado do meu curso. Fui pra Renner porque sim e lá encontrei essa jaqueta. AH, essa jaqueta. Foi amor à primeira vista por essa jaqueta. Sei que o militar camuflado está em alta entre as blogueirinhas, mas o militar que ganha meu coração é aquele do século XVIII, cheio dos botõezinhos e frescurinhas em dourado. Joguei mochila e tudo no chão para provar e me aprovar em frente ao espelho do corredor da loja. Ficou tão bem em mim, né? Tão difícil roupa na categoria adulta ficar bem em mim, principalmente na parte dos ombros, que costumam boiar em meio a tanto pano que sempre sobra para os lados. Mas nessa jaqueta da ala adulta serviu em mim, serviu nos meus ombros, serviria no meu armário com todas minhas roupas. Mas nem tudo tem um final feliz.

É sempre perigoso amar uma coisa antes de ver a etiqueta porque costuma te fazer mal e causar pensamentos durante o dia tipo POR QUEEE??. Geralmente tenho a regra de apenas admirar algo após ver a etiqueta, porque só assim posso classificar a tal coisa como acessível, talvez ok ou apenas uma piada de mau gosto. Infelizmente nesse caso não segui minha própria regra e ignorei a etiqueta gritando CORRE QUE TÁ CARO D+, mas quando notei já estava apaixonada.

Obviamente cogitei fazer em 4 vezes no cartão da Renner, mas voltei outro dia para analisar timtim por timtim a peça e notei um defeitinho num dos ombros. Tinha apenas um 36 no cabide, então era ou levar com defeito ou não levar. Razão e bolso falaram mais alto. Não levei. Fiquei triste.

P.S.: Eu que fiz o vestido que estou usando na foto!

Março de 2017, um resumão

5 de abril de 2017
Dia 6 do mês passado iniciei o curso técnico de Modelagem do Vestuário. SIIIM. Finalmente tirei as teias de cima de mim e estou construindo algo para meu futuro. Fazia tempo que eu tinha vontade de fazer alguma coisa relacionada a área de moda, mas o dinheiro antes era pouco e o incentivo também. Demorei alguns anos, uma faculdade que demorei para descobrir que não era o que eu queria de verdade estava no meio do caminho, mas tudo precisa de um começo, certo? Antes tarde do que nunca, não é o que dizem?

Eu sei, eu sei. É um técnico, não uma faculdade. Já ouvi que deveria estar fazendo uma faculdade no lugar de um técnico. Concordo, é realmente importante ter a graduação na área desejada. Mas a questão é: não tenho dinheiro para graduação no momento, Prouni tá fora de cogitação e fazer na federal só mudando de cidade. O técnico que estou fazendo não é barato, mas certamente é bem mais acessível.

Mas fora questões financeiras, um curso mais prático era tudo o que eu queria & precisava no momento. Faz tempo já que me aventuro na máquina de costura doméstica aqui de casa e faço algumas roupas para mim (e minha irmã, e minha mãe). Aprendi o pouco que sei por vídeos no YouTube porque, infelizmente, ninguém próximo de minha pessoa sabe costurar. O que não achei por lá acabei aprendendo na prática. Nesse pouco tempo costurando por minha conta já consegui fazer decentemente e de forma completamente usável uma saia midi rodada, um vestido e uma blusinha, tudo isso para mim. Para minha irmã e minha mãe fiz uma saia para cada uma. Preciso fotografar tudo de um jeito bonito e postar por aqui, pena que eu sempre esqueço. Uma hora vai.

* * *

Os últimos filmes que vi: Os Agentes do Destino, assistido em duas partes com uma boa distância de tempo entre. Achei mais ou menos. Logan eu vi no cinema com mozão. Gostei bastante, mesmo sabendo zero coisas sobre Volverine e derivados. Gatinhas e Gatões vi não muito depois de ter assistido Clube dos Cinco. Vi basicamente só pela Molly Ringwald, mas tem tantas coisinhas erradas que me pergunto se valeu a pena.

De série eu terminei The Office US, vi as duas temporadas de Unbreakable Kimmy Schimidt e comecei The Americans. Ah, também iniciou a 9ª temporada de RuPaul's Drag Race, que também estou acompanhando.

E no mundo literário estou completamente estagnada, li também nada em março. Mas ok, é a vida, não vou lamentar, que também tô fazendo outras coisas que gosto tanto quanto ler.

É tetra, é tetra!

8 de março de 2017


É TETRAAAAAAAAAAAA!!!!!!

Dia 06 desse mês, segunda agora, fez quatro anos que eu e Bruno estamos namorando. Quatro anos! O Orkut, que está morto nesse momento mas vivo em nossos corações, foi quem nos uniu e fez tudo isso acontecer. Não fosse ele, o MSN e os literalmente milhares de SMS, certamente não estaríamos onde estamos hoje. Namorar a distância foi difícil mas a conversa constante amenizou bastante os efeitos causados pela tristeza de não haver teletransporte no eixo SP-RS. Felizmente essa distância não existe mais e o único fator que nos impede de ir no cinema juntinhos quando nos dá na telha é o dinheiro e não os vários estados que até então nos separava. A vida é uma loucura e as vezes é linda demais.

Queria postar monte de foto de nós dois, em todos os lugares que fomos, de tudo que fizemos. Até procurei por aqui, mas no meu computador não tem nada e no celular só tem foto muito tosca, que é a mesma coisa de nada. O fato é que a gente não sabe tirar foto da gente mesmo, então nunca há registros decentes de nós dois. Encontrei essas duas fotos de 2013 no meu Tumblr abandonado. A calça da primeira foto que estou vestindo já foi pro lixo faz tempo e a camisa que Bruno tá usando eu queimei com ferro, embora nunca admita (oops).

* * *

Não sei mais escrever cartinha fofa (e talvez nunca tenha sabido), mas posso tentar definir o que sinto por você dizendo que o brilho nos olhos e o coração quentinho é uma constante. Obrigada por tudo, eu te amo, eu te amo, eu te amo <3
 

Follow by Email

Theme e conteúdo por Marina R. - © Marina's Journal 2011 ~ 2017